5 - Testes Acelerados

Você está aqui

Atualmente os fabricantes enfrentam o desafio de desenvolver novos produtos, com tecnologia mais avançada e em tempo recorde enquanto que, paralelamente, devem continuar os esforços de melhoria da produtividade, da confiabilidade de campo e da qualidade de maneira geral. Em termos práticos, isso significa que as informações referentes à confiabilidade dos produtos necessitam ser obtidas em um período curto de tempo, para que possam ser utilizadas em novos projetos e na melhoria dos já existentes. As informações referentes a performance dos produtos originam-se basicamente de duas fontes: dados de campo e dados experimentais (testes).

Os dados de campo, como o próprio nome sugere, são aqueles oriundos de uma operação de campo. Para alguns tipos de produto, é comum realizar uma espécie de "teste de mercado" bem antes do seu lançamento. Nesses casos, um determinado número de produtos é alocado a uma amostra de consumidores, em que a performance do produto é observada por um certo período de tempo em condições reais de uso. Um outro tipo de dado de campo é obtido através das chamadas dos serviços de assistência técnica autorizados. Entretanto muitos produtos modernos são projetados para operar, sem falhas, por anos. Portanto, é de se esperar que poucas unidades irão apresentar falhas durante o período de observação. Em particular, os dados obtidos através dos serviços autorizados muitas vezes não são totalmente confiáveis e, em geral, estão disponíveis apenas para produtos dentro do prazo de garantia. Terminado esse período perde-se o acompanhamento da "vida" do produto. A perda de acompanhamento é devido a dois fatores: o consumidor, por motivo de custo, resolve recorrer a serviços não autorizados ou o serviço autorizado, mesmo quando requisitado, não envia as devidas informações ao fabricante. No caso de produtos fora do prazo de garantia, o cliente arca com o custo do serviço. Consequentemente, do ponto de vista do prestador de serviços, não há razão para comunicar o fabricante. Devido a todos os problemas expostos, essas fontes de dados são em grande parte das vezes insuficientes sendo necessário então a coleta de dados experimentais. No entanto, os testes realizados sob condições normais de uso são demorados e caros. Uma forma frequentemente utilizada para obter informações de maneira mais rápida, facilitando a predição da confiabilidade é a realização de testes acelerados. Em geral, a informação obtida sob altos níveis de estresse, por exemplo taxa de uso, temperatura, voltagem, é extrapolada por meio de um modelo estatístico-físico para obter estimativas por exemplo do tempo médio ou mediano de vida nas condições de uso. Embora os teste acelerados sejam utilizados de uma forma ou de outra pelas indústrias, existem opiniões divergentes a respeito de como realizar tais testes e interpretar os dados coletados. Algumas questões que normalmente surgem são:

quantas e quais variáveis de estresse devem ser utilizadas?
quantos níveis de estresse devem ser utilizados? (é comum submeter todos os itens em teste a um mesmo nível de estresse?)
quais níveis de estresse devem ser escolhidos?
qual deve ser a forma de aplicação do estresse?

A verdade é que os testes acelerados quando bem entendidos, cuidadosamente realizados e os resultados apropriadamente analisados podem agregar muito valor ao produto. Por outro lado, quando utilizados sem critério e os dados analisados de maneira inapropriada podem levar a erros grosseiros.

A seguir apresentamos alguns conceitos básicos de testes acelerados, bem como variáveis de estresse e formas de aplicação dos níveis de estresse. Ainda, apresentamos algumas considerações importantes para a realização de tais testes.

Confiabilidade

Sobre o Portal Action

O Portal Action é mantido pela Estatcamp - Consultoria Estatística e Qualidade, com o objetivo de disponibilizar uma ferramenta estatística em conjunto com uma fonte de informação útil aos profissionais interessados.

Facebook

CONTATO

  •  Maestro Joao Seppe, 900, São Carlos - SP | CEP 13561-180
  • Telefone: (16) 3376-2047
  • E-Mail: [email protected]